10/01/2011

VALORIZANDO VITÓRIAS COTIDIANAS

O grande equívoco da falta de auto-estima concentra-se na negação do fato de que somos, todos e cada um, representantes do milagre da existência. Possuímos um cérebro altamente sofisticado, capaz de feitos sensacionais como ver, ouvir, comunicar e até mesmo pensar sobre o significado da vida. Isso é mais do que suficiente para termos uma alta dose de apreço por nós mesmos, independente dos sucessos e fracassos que colhamos durante as peripécias diárias e da eventual falta de manifestações amorosas por parte de nossos pais. Como bem resumiu o filósofo norte-americano Alan Watts: "Como é possível que um ser com jóias tão sensíveis quanto os olhos, instrumentos musicais tão encantados quanto os ouvidos, e um fabuloso arabesco de nervos como o cérebro possa considerar-se menos de que um deus?"

Quando ocorre a baixa auto-estima, a primeira atitude a ser tomada para corrigir o problema consiste em se tentar neutralizar a situação que origina a insegurança. Para tanto, é preciso fortalecer a idéia da auto-valorização. Nos momentos em que somos atingidos por sentimentos de inferioridade precisamos reforçar o entendimento da nossa própria importância e do nosso próprio valor como seres humanos.

Devemos valorizar tudo que podemos sonhar e construir. É preciso, também, acreditarmos na capacidade de executar nossos sonhos, transformá-los em realidade. Convém valorizar nossas pequenas vitórias cotidianas que podem, ao serem somadas, representar grandes alegrias. O mínimo que cada um de nós deve exigir, de si mesmo e de todos as outras pessoas, é respeito e consideração pelo que somos, pelos nossos potenciais e pelo que representamos como obras da natureza que somos, como filhos de Deus.

Um comentário:

Débora disse...

Cada leitura um aprendizado muito importante para a vida! Vc faz mto bem para seus leitores! Tenho certeza disso! Obrigada!