09/08/2010

REMOER VELHAS FERIDAS

A maioria de nós tem o hábito de ficar remoendo os acontecimentos do passado, desperdiçando tempo tentando imaginar como teria sido nossa vida caso os fatos tivessem ocorrido de outra forma. Fantasiamos com uma grande quantidade de "ses": se eu tivesse feito isto ou não tivesse feito aquilo, se determinada pessoa tivesse agido de outra maneira etc. Tudo isso, é evidente, não muda em nada nossa vida presente e, além disso, costuma nos encher de tristeza. Quando mergulhamos neste estado de espírito e nos voltamos para examinar, rememorar e lamentar o passado, o melhor a fazer é lembrar que o passado não muda, sendo portanto inútil sofrer outra vez pelo que já aconteceu e que portanto devemos seguir. Devemos parar de pensar em coisas que só nos trazem sofrimento e nos deixam em uma situação de impotência.

Como sucede com a maioria dos conselhos, este é fácil de ser dado e difícil de ser posto em prática, pois exige forte domínio sobre nossa imaginação e sobre o fluxo de nossas idéias. Quando entendemos que não vale a pena cultivar determinados pensamentos e lembranças, temos que aprender a afastá-los quando estes sugem em nossa mente. É da natureza humana a tendência de ficar remoendo velhas feridas que voltam a sangrar e nos ajudam a nos sentirmos vítimas. Precisamos nos disciplinar para, aos poucos, fazer valer nossa vontade e apagar essas idéias, decorrentes da tentação sempre presente de permanecer no confotável papel de vítima impotente. Quando conseguimos, abrimos um novo portal para o caminho da felicidade.

5 comentários:

Patricia disse...

Adorei o novo blog, parabéns. Eu já fiz muito isso, de ficar remoendo o passado e pensando em como poderia ser diferente. É claro que às vezes penso em palavras que poderiam ter sido ditas em um momento, mas logo esqueço. Já fui muito presa ao passado e hoje consigo me controlar mais.

Zulma disse...

Maravilhoso esse post. Parece que foi escrito para mim.
Parabéns Dr.Py. Desejo-lhe muito sucesso.
Abs

katita disse...

Maravilhoso, vc ajuda muitas pessoas com suas palavras. Obrigada, Katiane.

Lilian disse...

Muito bom, eu sou exatamente assim e sofro bastante por isso, não consigo mudar. Parabéns pelo seu texto.

Lilian

Luiz Alberto Py disse...

Agradeço os comentários que me estimulam a prosseguir neste trabalho. Uma carinhosa saudação a vocês.